fbpx
Procurar
Close this search box.

Nutrição Gentil – como a aplicar?

Existe uma ideia errada de que a alimentação intuitiva (AI) não considera nutrição. Contudo, não é nada assim. A nutrição é uma peça com um papel importante na AI e não deve ser descartada. Neste artigo vamos compreender o que é a Nutrição Gentil e como a implementar de forma a encontrares o equilíbrio natural que te faz sentir bem física e emocionalmente!

O que é a Nutrição Gentil?

A nutrição gentil (NG) é a abordagem que a AI faz à nutrição. É o último dos 10 princípios da AI e traduz-se em fazer escolhas de acordo com os teus gostos, enquanto honras a tua saúde. Mas como se faz isto?

A ideia de «comer tudo em moderação» ou «80% comida limpa, 20% asneira», não têm em consideração a tua saúde emocional. Isto porque te faz sentir culpada quando te permites comer a «asneira» ou achas que mereces comer o doce para seguires a regra da «moderação». Esta «moderação» de moderado não tem nada, pois é uma regra que não deve ser desobedecida. E como «o fruto proibido é o mais apetecido», essa  «pseudo permissão» por comer – que tem como base a culpa – leva a descontrolos. A NG é a reposta para estes problemas.

Abaixo tens um gráfico que uso no meu programa online Equilíbrio Natural:

Consegues perceber como a área central leva em consideração tanto a nutrição como as tuas preferências? Nenhuma das partes é descartada.

E é normal e esperado que hajam períodos da tua vida em que dás mais ênfase a uma das partes. Por exemplo, quando alguém tem uma intolerância, tem de incorporar o lado direito do gráfico com mais cuidado. Um exemplo contrário: quando a minha filha Alice nasceu, eu dava mais importâncias aos sinais do meu corpo e ao que me apetecia, e nem sequer tinha disponibilidade mental para pensar em nutrição.

Qual é o momento certo para implementar a nutrição Gentil?

Não é por acaso que a NG é o último princípio da AI. Muitas vezes, nem é preciso trabalhar este princípio, pois a cliente já está tão conectada com o que o corpo precisa dá-se premissão incondicional para comer, que naturalmente vais as escolhas mais equilibradas. Mas, quando alguém ainda está no início do processo, há uma explicação importante pela qual a nutrição deve ficar em banho maria.

A razão para isto é porque é extremamente importante curar a relação com a comida, com o corpo e rejeitar a cultura das dietas. Tudo isto influencia a maneira como te tratas e como te alimentas. Passar estes passos importantes na tua cura à frente é como construíres uma casa feita de palha: destrói-se ao mínimo sopro. Para além de que se não te livrares da mentalidade de dieta, rapidamente transformas a nutrição gentil num conjunto de regras (ou seja, numa dieta). Isto de intuitivo não tem nada, para além de que vais continuar categorizar as comidas de «boas» ou «más». Uma abordagem neutra a todas as comidas é fundamental.

Exemplos de nutrição gentil

Mas como é que a NG se demonstra no nosso dia a dia. Deixo alguns exemplos:

  • Escolheres pão integral em vez de branco para dares mais nutrientes e fibra ao teu corpo: especialmente se sabes que vais ter uma manhã aterefada
  • Estruturares o teu dia se reparas que ficas imensas horas sem comer e que quando chegas a casa, comes para lá do teu bem estar.
  • Dares au teu corpo proteína antes de um treino de musculação, pois sabes que vai apoiar o rendimento do teu treino
  • Acrescentares frutas frescas ao teu iogurte para teres um mini boost de vitaminas e minerais, para além de mais sabor e textura
  • Experimentares diferentes porções às refeições quando reparas que ficas excessivamente cheia ou que depois da refeição ficas logo com fome de novo
  • Escolheres um bebida que tem menos açúcares quando reparas que ambas as versões (a com mais e a com menos açúcar) te satisfazem de igual modo
  • Quando preparas uma refeição, incorporares os três macro nutrientes porque sabes que te vai deixar mais saciada e satisfeita

E toda a gente pode usar a nutrição gentil?

Pois, tal como referi atrás, é importante que se consiga considerar a intuição interna ao aplicar a NG. Com isto quero dizer que tem de haver espaço para os teus desejos, preferências, gostos, etc. Se não se consegue honrar um «craving» sem culpa, então é preciso trabalhar alguns aspectos antes de usar a NG.

Um exemplo:

Imagina que tanto massa integral como massa «normal» te satisfazem de mesma maneira. Então, sempre que podes, vais implementar a NG e escolher a massa integral para teres mais nutrientes e fibra na tua refeição. Contudo, em termos de pão já não é assim. O pão branco satisfaz-te muito mais do que o integral. Então, neste caso, faz todo o sentido escolheres o branco. Se escolhesses o integral não terias o mesmo prazer a comer, o que poderia levar a que procurasses algo mais para finalmente te sentires satisfeita.

Por isso, como podes ver, a aplicação da NG vai varias consoante os gostos e preferências de cada um de nós. Também é importante saber a diferença entre preferência alimentar e regra alimentar. Usando o exemplo acima, imagina que vais comprar massa integral mas na loja só está disponível a massa branca? Se sentes culpa em comprar a massa branca é porque isso é uma regra alimentar que precisa de ser trabalhada. Quando se tem condições para aplicar a NG todas as opções são válidas!

Como começar então a implementar a nutrição gentil?

Antes de começarmos temos de garantir de que estás preparad@ para o processo. Como disse acima, temos de deixar a NG em banho maria durante o início da tua jornada para ter uma AI de forma a conseguirmos abordar a NG de uma perspetiva em dietas.  Considera as seguintes questões perante  atua relação com a comida:

  • Já trabalhei nas minhas regras e crenças alimentares?
  • A comida deixou de ser considerada de «asneira»?
  • Como as comidas que considerava de «más» sem culpa?
  • Qual a razão pela qual quero começar a implementar a NG?

Se vires que respondes «não» à maioria das questões e de que procuras na NG uma maneira de manipulares a forma do teu corpo, então ainda tens trabalho para fazer antes de chegar aqui.

O meu livro também te vai ajudar a trabalhares a tua relação com o corpo.

Se já sabes que estás preprad@ para esta jornada, deixo-te aqui de forma geral cinco passo que te vão ajudar:

  1. Começa por observar – observa e conhece os padrões dos teus hábitos alimentares
  2. Escolhe uma coisa para experimentar – por exemplo, se reparas que estás com muita fome ao almoço, vê se não estão a faltar hidratos de carbono ao pequeno almoço ou se não fazia sentido comer algo a meio da manhã. Mas «resolver» uma coisa de cada vez na tua alimentação, em vez de tentares resolver tudo!
  3. Experimenta: gora que já decidiste o que queres mudar, experimenta e vê como te sentes. Anota as diferenças e compreende se essas mudanças te servem e se são sustentáveis (news flash: têm de ser!).
  4. Reflete: agora que já estas à algum tempo a experimentar, por exemplo, comer mis hidratos ao pequeno almoço, reflete em como está a ser a tua experiência. Tens gostado? Já não pensas em comida durante a manhã? Chegas à hora de jantar com uma sensação de fome confortável?
  5. Repete: fica com as experiências que te servem, e experimenta até as achares.

É importante referir que é normal que estes novos padrões alimentares mudem com o passar do tempo ou consoante uma período diferente da tua vida. Por isso, o que te serve e o que gostas agora, pode não ser semelhante daqui a cinco anos!

Nutrição Gentil: um resumo

Aqui ficam as ideias principais sobre a NG.

A nutrição gentil (NG) é a abordagem que a AI faz à nutrição. Nutrição é importante, mas não deve ser o único factor que determina as tuas escolhas.

Se procuras um equilíbrio natural, é isso que a NG te fornece. Uma das diferenças entre NG  e dietas é que as NG considera as tuas preferências e os teus desejos na altura de escolheres o que comer. Para além de que com a NG és TU quem faz as escolhas, ficando totalmente autónom@ para te alimentares.

Se ficaste com alguma dúvida sobre NG sente-te livre de partilhar abaixo. Se vires que precisas de ajuda para a implementar podes contar comigo para te orientar e resolver todos os teus conflitos com a comida!

POSTS RELACIONADOS

Receita de Bolo de chocolate e aveia

Esta receitinha é tão fácil e prática que mal me deparei com ela que fiquei logo com vontade de experimentar. O sabor intenso a chocolate,

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *